Enxaqueca e Nutrição


A enxaqueca se caracteriza por uma dor unilateral, pulsátil, e sua intensidade vai de moderada a intensa. Geralmente os sintomas são náuseas, vômitos, diminuição da libido, aversão à claridade, aversão a cheiros e barulhos, além de apresentar agressividade também! É importante detectar quais os principais fatores desencadeantes das crises de enxaqueca.

Dentre eles está, o estresse, disfunção do sono, consumo de bebidas alcoólica, tensão, e, muitas vezes pode estar ligada ao consumo alimentar. E no caso das mulheres, ainda temos as alterações hormonais.


Alguns estudos também fazem uma correlação entre obesidade e enxaqueca, com variações conforme a idade e possuindo maiores chances de acometer mulheres mais jovens com maior circunferência abdominal. Os hábitos alimentares mais relacionados à enxaqueca são: bebidas e enlatados com aditivos, chocolate, queijo, frutas cítricas, bebida alcoólica, adoçantes como aspartame, glutamato monossódico (presente na maioria dos temperos e alimentos industrializados), uma dieta rica em gorduras, laticínios (especialmente o sorvete), cafeína e o baixo consumo de água.


Como orientação nutricional temos os alimentos ricos em complexo B (cereais, sementes de girassol, ervilhas verdes, arroz, batata, fígado bovino, iogurte, ovo, espinafre, brócolis), o magnésio (feijão de corda, arroz integral, castanha-de-caju, nozes, batata, uvas), a coenzima Q10 (óleos, nozes, peixes, carnes), o triptofano (banana, grãos; leguminosas, sementes), a vitamina E (amêndoas, castanha do brasil, óleo de girassol, nozes, aspargo, o azeite de oliva, damascos), o ácido alfa-lipóico (carnes vermelhas, vísceras, couve, levedo de cerveja) , inositol (grãos, vegetais, nozes, leguminosas, fígado), ômega-3, isoflavonas (soja e produtos de soja), gingerol (gengibre), assim como a suplementação de 5-HTP, mostraram-se eficazes na prevenção das crises de enxaqueca. Porém, para algo específico e individualizado busque ajuda de um profissional capacitado para lhe ajudar!

image00025.png